Ministro defende adiamento de aposentadorias


Carlos Gabas acredita que fator previdenciário deveria ser substituído pela fórmula 85/95

Carlos Gabas, novo ministro da Previdência Social

Carlos Gabas, novo ministro da Previdência Social
 (Luiz Carlos Murauskas/Folhapress)

O ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, em entrevista do jornal O Estado de S. Paulo, defendeu a mudança do cálculo para concessão de aposentadoria no Brasil. Ele acredita que o fator previdenciário, criado em 1999 e usado até hoje, não cumpre o papel de retardar as aposentadorias. A ideia é que ele seja substituído por uma fórmula que adie o tempo que as pessoas podem se aposentar.

Ele cita como possível substituto o conceito 85/95, que soma a idade com tempo de serviço: 85 para mulheres e 95 para homens. “Qualquer cidadão tem que pensar que não é razoável que uma pessoa vivendo 84 anos se aposente aos 49 anos”, exemplifica. Continuar lendo

Anúncios

OPERAÇÃO BARREADO – Advogados que defendem pescadores deixam a prisão


Segundo o MP-PR, um esquema montado no Fórum de Antonina favorecia o andamento das ações movidas pelos advogados acusados. | Oswaldo Eustaquio/Gazeta do Povo

Segundo o MP-PR, um esquema montado no Fórum de Antonina 
favorecia o andamento das ações movidas pelos advogados acusados.
Eles são acusados de terem articulado um núcleo criminoso no cartório cível do fórum de Antonina. Outros dois advogados tiveram a prisão decretada, mas não se apresentaram às autoridades

Os advogados Fabiano Neves Macieywski e Saulo Bonat de Mello deixaram a prisão na última sexta-feira (20), depois de terem sido beneficiados por um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). Os dois estavam detidos desde a quarta-feira (18). Eles e outros dois advogados – todos do mesmo escritório – representam mais de 1,2 mil pescadores em Antonina e são acusados de terem articulado um núcleo criminoso no cartório cível, em pleno fórum da cidade. Os quatro são acusados de corrupção ativa e formação de quadrilha. Continuar lendo

Justiça limita funcionamento de empresas por causa de ruído


Horário de expediente ficou limitado das 8h às 22h nas duas empresas. MP, autor da ação, argumentou que nível sonoro ultrapassava o permitido por lei em ambos os casos

A Justiça de Curitiba determinou que duas empresas da cidade deixem de operar trabalhos no período noturno por causa de problemas de ruídos causados nos arredores, o que incomodava moradores de seu entorno no período noturno. As duas decisões, cujas ações foram pedidas pelo Ministério Público (MP) do Paraná, são liminares, ou seja, ainda cabem recurso. Continuar lendo

UFPR precisará fiscalizar de perto termo com Ebserh


 | Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Apesar de contrato bem amarrado, condições dadas pela estatal à universidade não conferem qualquer autonomia especial em comparação a outras instituições

Uma análise do contrato de cogestão assinado entre a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná no ano passado indica que a UFPR precisará ser realmente atuante na direção do HC para que as promessas de aumento de quadro de funcionários e estrutura feitas no calor da discussão sobre a adesão à estatal federal ocorram de verdade. A orientação é do presidente da Comissão de Direito à Saúde da OAB-PR, Martim Afonso Palma. Apesar de apontar que o acordo está bem amarrado, ele diz que há riscos de o serviço prestado ser ineficiente caso não ocorra um monitoramento severo. Continuar lendo