“Longe de estar em paz”, Luxemburgo e Edmundo fecham acordo por dívida


Treinador e ex-atacante se encontram em reunião e parcelam pagamento de débito. Com decisão, Luxa poderá voltar a receber integralmente seu salário no Flamengo

A reaproximação que começou durante a Copa do Mundo, quando Vanderlei Luxemburgo e Edmundo voltaram a se falar, foi parar no papel na manhã desta sexta-feira. Em reunião na 7ª Câmara Cível do Rio de Janeiro, proposta pelo desembargador Luciano Rinaldi de Carvalho, os dois entraram em conciliação por uma dívida antiga do treinador com o ex-atacante de aproximadamente R$ 300 mil, valor atualmente corrigido para R$ 2,841 milhões.
– Sim, foi feito acordo. Pagamento parcelado de R$ 2,35 milhões em dez parcelas – explicou o advogado de Edmundo, Roberto Leven Siano.

Ex-jogador Edmundo (Foto: Thiago Lima)

Edmundo não se mostrou completamente satisfeito com a decisão,
 mas celebrou fim da briga (Foto: Thiago Lima)

Mas se o clima foi cordial no reencontro no meio do ano passado, não se repetiu na audiência. Luxemburgo deixou o local rapidamente, enquanto Edmundo timidamente comemorou o fim do imbróglio, explicando como está a relação entre os dois.
– Na verdade as pazes nunca foram feitas. Insistia em dizer que já tinha pago, enfim, quando ainda existia a pendência. Isso me deixou muito chateado porque parece que eu estava errado na história. O desembargador foi muito bacana, honesto com ambas as partes, ao dizer que a briga não leva a nada. É melhor um péssimo acordo do que uma boa briga. Entendendo isso, também para estar livre desse tipo de perturbação, de ter que voltar ao fórum, lugar que não me traz boas recordações, acabei aceitando. Enfim. Vida que segue, mas longe de estar em paz – disse Edmundo.
– Não quero falar sobre isso, não – limitou-se Luxemburgo.

Tecnico Luxemburgo (Foto: Thiago Lima)

Técnico Vanderlei Luxemburgo deixou rapidamente 
a 7ª Câmara Cível do Rio de Janeiro (Foto: Thiago Lima)

Continuar lendo

Anúncios

Renan Calheiros decide instalar CPI do SwissLeaks-HSBC


O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu no final da noite de quinta-feira (26.fev.2015) a favor da instalação da CPI do SwissLeaks-HSBC.

A leitura do requerimento da CPI será realizada na sexta-feira (27.fev.2015) na parte da manhã. “A partir da leitura, haverá um prazo até a meia-noite para inclusão ou retirada de assinaturas. Se o número necessário permanecer, a CPI será instalada. É um assunto relevante”, disse Renan ao Blog.

O pedido de CPI é uma iniciativa do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Ele diz ter obtido mais de 30 assinaturas de colegas no Senado, acima, portanto, do mínimo de 27 apoios.

A ideia é investigar as contas de brasileiros mantidas na agência de “private bank” do HSBC na cidade de Genebra, na Suíça. O caso foi revelado numa investigação jornalística internacional pelo ICIJ, em parceria com dezenas de veículos em vários países. No Brasil, o UOL é a plataforma na qual os dados estão sendo publicado, por meio do Blog do jornalista Fernando Rodrigues.

Randolfe defende que o Ministério da Fazenda, que comanda a Receita Federal, e o Ministério da Justiça, órgão superior à Polícia Federal, obtenham e informem o nome dos brasileiros que mantiveram as contas na agência do HSBC em Genebra e “condutas ilícitas supostamente imputadas” a eles. Continuar lendo

Corregedoria manda afastar juiz do caso Eike Batista


A corregedora nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, decidiu nesta quinta-feira (26) afastar imediatamente das funções o juiz Flávio Roberto de Souza, da 3ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Responsável por ações criminais contra Eike Batista, Souza foi flagrado nesta semana dirigindo um Porsche Cayenne apreendido do empresário.

Ele também deu a vizinhos a guarda de um outro carro da família de Eike, uma Range Rover, e de um piano de cauda.

24fev2015---o-juiz-flavio-roberto-de-souza-foi-visto-dirigindo-o-porsche-apreendido-do-empresario-eike-batista-em-entrevista-a-folha-o-juiz-confirmou-que-estava-com-o-porsche-de-eike-batista-e-disse-1424901762010_615x300

Bens apreendidos de Eike Batista

Segundo a decisão de Andrighi, todos os processos referentes a Eike terão de sair da alçada de Souza, sendo redistribuídos aleatoriamente a outras Varas Federais Criminais. Para a ministra, ao utilizar os bens do réu, Souza confundiu seu papel de magistrado com o de pessoa física, provocando repercussão nacional.

O tempo do afastamento do juiz deverá ser arbitrado pelo plenário do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), órgão que abriga a Corregedoria.

Souza poderá recorrer da decisão, talvez com um mandado de segurança junto ao Supremo Tribunal Federal. Continuar lendo

Legalização da maconha começa na capital dos EUA, mas sem comércio


A legalização da maconha entrou em vigor nesta quinta-feira (26) no Distrito de Colúmbia, que abriga a cidade de Washington. Na unidade federativa dos Estados Unidos, porém, é proibido o comércio da droga e não há previsão de regularização.

A descriminalização da erva foi aprovada em referendo que aconteceu no mesmo dia das eleições parlamentares americanas, em novembro. Além do Distrito de Colúmbia, eleitores dos Estados do Alasca e do Oregon deram apoio à legalização.

Gary Cameron - 4.nov.2014/Reuters
Cartazes pela legalização da maconha na cidade de Washington; lei entra em vigor nesta quinta

Cartazes pela legalização da maconha na cidade de Washington; 
lei entra em vigor nesta quinta

O caso da capital americana é o único que não prevê a abertura de lojas para a venda da droga. Os usuários deverão recorrer a licenças para o cultivo para ter maconha de forma legal, que só foram obtidas por dezenas de pessoas do distrito. Continuar lendo