Penhoras, leilões, vendas e até impasse sobre propriedade marcam a estrutura do Tricolor

Vila Capanema – Ainda pode perder

O estádio foi construído em 1947, no terreno da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA), pelo Clube Atlético Ferroviário, e usado na Copa de 1950. Mas desde 1972, quando o Ferroviário se fundiu ao Britânia e ao Palestra Itália para formar o Colorado e um grupo de engenheiros da RFFSA reivindicou a devolução, a Vila Capanema nunca mais saiu da pauta jurídica do clube.

Em 2013, a Justiça decretou que o estádio é patrimônio do governo federal, que herdou o espólio da RFFSA, e deu um prazo para o clube deixar o terreno. O clube recorreu da decisão.

Vila Guaíra – Arrendado, em parte

A sede social do Paraná, na Avenida Kennedy, na Vila Guaíra, está em uma área de 35 mil metros quadrados. Conta com salão social para bailes e shows, bar executivo, restaurante, o memorial tricolor, e estrutura de parque aquático e canchas esportivas.

Apesar do clube não ter perdido sede administrativa, um dos principais espaços está arrendado. Em 2012, o Paraná cedeu os salões de festas para uma empresa de eventos por 20 anos. A medida foi para ajudar a sanear os problemas financeiros do clube. A empresa de eventos se comprometeu a reformar o local, como parte do contrato.

Por outro lado, há pressão, por parte da maior torcida organizada paranista, a Fúria Independente, que esse ano exigiu a venda de todo o patrimônio social para que o Paraná viva apenas do futebol. O temor dos torcedores é perder a sede por leilão, o que faria com que o Tricolor recebesse muito menos do que o real valor do local.

Ninho da Gralha – Imóvel penhorado

Brunno Covello/Gazeta do Povo

Com 260 mil metros quadrados, em 2008 foi decidido que o terreno abrigaria o novo centro de treinamentos das categorias de base. Hoje, o clube corre risco de perder o centro de treinamentos no processo movido pelo empresário Léo Rabello pela negociação do meia Thiago Neves em 2007.

Tarumã

Leiloada

Com 52 mil metros quadrados, a sede tinha um parque aquático com piscinas, quadras de tênis, futebol suíço e futebol de areia, que era utilizada pelos sócios. Mas uma execução fiscal, no valor de R$ 1,08 milhão, levou a sede a ser penhorada.

No dia 4 de abril de 2013, o imóvel foi arrematado em leilão por R$ 30 milhões por um grupo que pretende erguer no local um shopping. A maior parte do dinheiro ficou pouco tempo com o clube. No mês seguinte, o Tricolor divulgou que usou R$ 27,1 milhões para pagar dívidas com o INSS, Receita Federal, além de dívidas trabalhistas.

Britânia

Vendido

A área de 60 mil metros quadrados do antigo estádio do Britânia, na Avenida das Torres, no Guabirotuba, era cogitada como área para projetos futuros quando houve a fusão que formou o Paraná em 1989. O parque Paula Soares tinha campos de futebol e cancha para beisebol.

Em 1998, o terreno acabou negociado e hoje funcionam no local um hipermercado e uma loja de materiais esportivos. O episódio é lembrado até hoje pelos paranistas como um exemplo de venda que lesou os cofres do clube. O dinheiro da venda do terreno pouco adiantou a melhorar a situação tricolor.

Guaratuba

Imóvel penhorado

O Paraná tem dois terrenos em Guaratuba, no litoral do Paraná, que, juntos, somam 485 mil metros quadrados. O plano era criar uma sede do clube no litoral. No entanto, a diretoria não deu uma utilidade para os terrenos até hoje. Além disso, os imóveis também foram dados pelo clube como garantia em ações judiciais. Entretanto, como é área de preservação, o clube teria dificuldade em construir algo nos dois terrenos.

Vila Olímpica

Leiloado

O terreno do estádio, de 66 mil metros quadrados, foi leiloado na manhã desta quinta-feira (11) por R$ 11,650 milhões, quase metade do valor do primeiro lance, R$ 23,2 milhões. O imóvel foi a leilão para pagar uma dívida de R$ 450 mil do Paraná com o ex-técnico da equipe Ricardo Pinto, que comandou o Tricolor em 2011, quando começo a temporada que culminou na queda do time para a Série B do Estadual. O estádio foi arrematado pela empresa Seagull Incorporações e Participações.

via Saiba a situação de todos os imóveis que formam o Paraná Clube | Paraná Clube | Gazeta do Povo.

Saiba a situação de todos os imóveis que formam o Paraná Clube

Anúncios