Manifestantes lotam Esplanada para protestar contra Dilma e corrupção

Segundo a PM, ao menos 45 mil pessoas participaram do protesto no DF.
Parte dos manifestantes pediu impeachment da petista e intervenção militar.

Vestidos com camisetas verdes e amarelas, milhares de manifestantes lotaram de forma pacífica neste domingo (15) a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para protestar contra a presidente Dilma Rousseff e pedir o fim da corrupção no país. Segundo o Departamento Operacional da Polícia Militar do Distrito Federal, ao menos 45 mil pessoas atenderam às convocações feitas nas redes sociais para o protesto contra o governo. O movimento Vem pra Rua, um dos organizadores do ato, calculou em pelo menos 80 mil o número de pessoas que participaram da manifestação na capital federal. 

  Com centenas de faixas e cartazes, os manifestantes criticaram a gestão petista na administração federal. Em meio ao ato público, algumas pessoas pediram o impeachment de Dilma. Outras, inclusive, chegaram a defender uma intervenção militar para destituir o governo do PT (veja o vídeo ao lado).

Dois trios elétricos e quatros carros de som foram usados para sonorizar o protesto. Os veículos de som ajudaram os manifestantes a puxar gritos de ordem contra o governo, como “Fora PT, leva a Dilma com você” e “Nossa bandeira nunca será vermelha”.

 A concentração para a manifestação iniciou por volta das 9h em frente ao Museu Nacional, localizado no Eixo Monumental, avenida que concentra os principais prédios públicos da capital federal. Para ingressar no perímetro da Esplanada, os primeiros manifestantes que chegaram ao local tiveram de passar por uma revista de policiais militares.

O cordão de PMs vistoriou mochilas, bolsas e bolsos dos manifestantes. Na estação de metrô da Rodoviária do Plano Piloto, os policiais apreenderam máscaras e pedaços de pau com algumas pessoas que se dirigiam para o protesto.

Por volta das 10h30, os cerca de 12 mil manifestantes que ocupavam a Esplanada naquele momento começaram a se deslocar em direção ao Congresso Nacional, localizado a cerca de dois quilômetros do ponto de concentração. A PM apenas observou a marcha.

Dois mil homens atuaram no policiamento do protesto deste domingo na área central de Brasília, informou a PM. Outros 1,2 mil estavam de prontidão nos quartéis para reforçar o efetivo, caso fosse necessário. O Batalhão de Choque também ficou nas imediações da Esplanada para intervir se ocorressem tumultos.

Equipes da Polícia Militar reforçaram a segurança em prédios públicos, inclusive o Palácio do Buriti, distante da área para onde o protesto está previsto. A área próxima ao Palácio do Planalto e ao Supremo Tribunal Federal foi interditada pela PM.

 Durante a manifestação em frente ao prédio do Legislativo, um homem exibiu um cartaz em apoio à presidente da República. Ele foi hostilizado por pessoas que protestam contra o governo federal, incluindo mulheres e crianças (assista ao vídeo acima). O homem teve de pedir proteção à Polícia Militar para deixar o local.

Em outro ponto do protesto, informou a PM, um homem foi preso por agredir alguns manifestantes. Conforme o chefe do Departamento Operacional da Polícia Militar, Coronel Lemos, o homem era simpatizante da presidente Dilma Rousseff. De acordo com a PM, este foi o único registro de prisão no protesto.

E.T. e Dilma fake
Apesar de alguns manifestantes terem defendido um golpe militar e outros terem aproveitado o protesto para condenar a união entre casais homossexuais, a manifestação em Brasília ficou marcada pelo bom-humor.

Um grupo de motoqueiros que participou do ato levou um boneco de um “E.T.” para o protesto. Em tom irônico, eles afirmaram que o “extraterrestre”, que eles batizaram de “E.T. Bilú”, era o seu representante.

Em um dos trios elétricos que animavam o protesto, uma manifestante fantasiada de Dilma Rousseff arrancava gargalhadas do público. A Dilma fake e outras pessoas que participavam do ato também simularam, com uma espécie de gaiola, um cela que eles chamaram de “Presídio Luiz Inácio Lula da Silva”, em referência ao ex-presidente da República.

A cela estava estampada cartazes com os nomes e fotos de políticos investigados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, entre os quais os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Outros manifestantes aproveitaram o protesto contra Dilma como uma oportunidade para faturar dinheiro. Camisetas com mensagens que pediam a saída da presidente da República eram vendidas por R$ 10 em frente à Biblioteca Nacional.

Manifestantes atiram rosas no espelho d'água em frente ao Congresso Nacional (Foto: Mateus Rodrigues/G1)Manifestantes atiraram rosas no espelho d’água em frente ao Congresso Nacional (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Hino Nacional
Após três horas e meia de protestos, o ato contra o governo federal foi encerrado com os milhares de manifestantes que se aglomeravam em frente ao Congresso Nacional cantando em coro o Hino Nacional reproduzido em um trio elétrico. Ao final do hino, a maior parte do público começou a dispersar. Naquele momento, a PM estimava em cerca de 45 mil o número de pessoas que haviam comparecido à manifestação, entre os quais muito idosos.

Flores brancas foram distribuídas e atiradas no espelho d’água em frente ao Congresso Nacional. Por volta das 12h45, 20 manifestantes pularam dentro do espelho d’água do parlamento e entregaram rosas aos policiais militares que isolavam o prédio.

 Protesto fora do Plano Piloto

O protesto deste domingo no Distrito Federal não se limitou à região da Esplanada dos Ministérios. Em Águas Claras, bairro de classe média a 20 km do centro de Brasília, houve buzinaço e carreata (veja o vídeo ao lado) por volta das 9h, quando os manifestantes começaram a se deslocar para o centro da capital federal.

Durante a carreata, moradores de Águas Claras soltaram fogos de artifício para criticar a gestão Dilma.

Esplanada dos Ministérios, Brasília, manifestação, protesto (Foto: TV Globo)Esplanada dos Ministérios, Brasília, manifestação, protesto (Foto: TV Globo)
Manifestantes ocupam a rampa do Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, durante manifestação contra a corrupção (Foto: Mateus Rodrigues/G1)Manifestantes ocupam a rampa do Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, durante manifestação contra a corrupção (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

via G1 – Manifestantes lotam Esplanada Para protestar contra Dilma e Corrupção – Noticias EM Distrito Federal.

Anúncios